CRÍTICA | O Passageiro, o "novo" filme de Liam Neeson

CRÍTICA | O Passageiro, o “novo” filme de Liam Neeson

O Passageiro, de Jaume Collet-Serra – que dirigiu também os filmes Desconhecido (2011), Sem escalas (2014) e Noite sem fim (2015) – é mais um longa de ação estrelado pelo veterano Liam Neeson. Como de costume, Nesson, se põe no seu papel de agente – nesse caso, ex agente das forças policiais – que tem uma difícil missão em suas mãos. A adrenalina segue constante como nos filmes anteriores da parceria entre o ator e o diretor com o fator leve de inovação que é a maneira como a história é elaborada.

Michael MacCauley (Liam Neeson) frequenta o mesmo trem há 10 anos para ir e voltar de seu trabalho. Com sua simpatia e percepção de ex policial, ele conhece cada uma das pessoas que são regulares naquele trajeto. Contudo, o que sempre fez parte de seu cotidiano pode se tornar uma intensa aventura quando uma mulher desconhecida (Vera Farmiga) lhe faz uma proposta suspeita. Agora, para salvar sua vida, de sua família e de todos os que estão no trem, Michael deve achar um estranho entre os passageiros.  Mesmo para um ele, salvar a vida de alguém nunca foi tão difícil.

CRÍTICA | O Passageiro, o "novo" filme de Liam Neeson

A problemática que gira em torno desse subgênero de ação é a repetição. Diversas produções semelhantes são feitas anualmente criando uma ideia de que esse mercado não se renova, o que pode afastar um público um pouco mais exigente. Mais complicada ainda é essa parceria entre Jaume e Liam por criar um padrão técnico e de atuação para as películas. Deixando assim, toda a responsabilidade de inovação nas mãos de quem escreve a trama. Algumas vezes dá certo, outras nem tanto. A criatividade precisa ser tamanha para fazer com que aquela velha história batida se torne algo verdadeiramente bom.

A temática muito semelhante com o longa-metragem Sem escalas e os acontecimentos previsíveis durante a narrativa são fatores que incomodam. Para contrapor eles, existem sequências de ação muito interessantes, acompanhadas de um leve suspense que eles conseguem criar, mesmo que por pouco tempo. No final das contas, O Passageiro é um divertimento razoável para aqueles que gostam do gênero. Entretanto, se estiver a procura de algo diferente ou verdadeiramente tenso e cheio de suspense, você está indo para a sessão errada.

Pelo menos a divulgação, com o famoso apresentador policial José Luiz Datena, foi inovadora…

+ AÇÃO: 15h17 – Trem Para Paris

 

O PASSAGEIRO

Trailer

Sinopse

Liam Neeson é Michael, um vendedor de seguros que vê a sua viagem diária de trem para o emprego transformar-se numa série de reviravoltas. Depois de ser abordado por uma misteriosa mulher, Michael é forçado a desvendar a identidade de um passageiro escondido no trem antes que este chegue à última parada. À medida que luta contra o tempo para resolver este quebra cabeça, Michael percebe que está preso no centro de uma conspiração criminosa, que coloca em perigo a sua vida e dos demais passageiros.

Escrito por Felipe Aguiar

Estudante de jornalismo curioso e apaixonado por história. Cinéfilo de carteirinha que ama o universo da sétima arte e deseja sempre estar ainda mais imerso nesse mundo.